Faculdade de Ciências Sociais e Humanas

Problemas de Literatura Tradicional

Código

722091125

Unidade Orgânica

Faculdade de Ciências Sociais e Humanas

Departamento

Estudos Portugueses

Créditos

10

Professor responsável

Teresa Araújo

Horas semanais

3 letivas + 1 tutorial

Língua de ensino

Português

Objectivos

a) Definir e problematizar os limites dos géneros tradicionais.
b) Analisar criticamente os romances à luz da história, da temática e das estruturas formais do género.
c) Identificar a variabilidade e invariância das actualizações poéticas dos romances e problematizar o fenómeno, considerando as contribuições teóricas e metodológicas mais recentes.
d) Analisar criticamente a intertextualidade criada por diversos autores ao incorporarem, nas suas obras, elementos de romances tradicionais e reflectir sobre o artifício criativo.
e) Planificar e desenvolver trabalhos de investigação na área de estudos da Literatura Tradicional, utilizando os instrumentos teóricos e metodológicos adequados.

Pré-requisitos

Não tem.

Conteúdo

1.Os debates actuais sobre o conceito de Literatura Tradicional
1.1.As perspectivas neo-pidalina, oralista e etnográfica;
1.2.A especificidade de um corpus literário com registo na memória colectiva e com transmissão oral;
1.3.A relevância das noções de “povo” implícitas na discussão actual.
2.Os limites e as influências dos géneros da Literatura Tradicional.
3.O Romanceiro Velho e de Tradição Moderna:
3.1.Os temas, a forma e a poética dos romances;
3.2.A transversalidade histórico-geográfica e a sua relação com o fenómeno da conservação-recriação dos romances.
3.3.A investigação de campo e a edição dos textos conservados pela memória: metodologias, critérios e suportes de fixação;
4.A presença dos romances tradicionais em obras de criação individual: modalidades, significado e funcionalidade:
4.1.no teatro dos séculos XVI e XVII;
4.2.na literatura oitocentista e na produção literária posterior.

Bibliografia

CATALÁN, Diego, 1997-1998: Arte poética del romancero oral, I. Los textos abiertos de creación colectiva, II. Memoria, invención, artificio, Madrid, Siglo Veinteuno, Fundación Menéndez Pidal.
FERRÉ, Pere (ed. e introdução), 2000-2004: Romanceiro Português de Tradição Oral Moderna, 4 vols, Lisboa, Fundação Calouste Gulbenkian.
NASCIMENTO, Braulio, 2005-2006: “Variantes e Invariantes na Literatura Oral”, ELO. Estudos de Literatura Oral, Nºs. 11/12, pp. 167-180.
DI STEFANO, Giuseppe, 2010: Romancero, Madrid, Castalia.
VASCONCELOS, Carolina Michaëlis de, 1980: Estudos sobre o Romanceiro Peninsular. Romances Velhos em Portugal, Porto, Lello & Irmão.

Método de ensino

A metodologia trabalho é de natureza teórico-prática, incluindo, por parte dos alunos, a apresentação e a discussão de análises críticas e, por parte do professor, a exposição de questões teóricas e o acompanhamento dos trabalhos desenvolvidos pelos discentes.

Método de avaliação

A avaliação dos alunos resulta da apreciação da sua investigação pessoal (competências ao nível da planificação, da pesquisa e do estabelecimento da metodologia adequada), dos seus resultados apresentados sob forma de trabalhos parcelares ao longo do período lectivo (50%) e de um ensaio final (50%).

Cursos