Faculdade de Ciências e Tecnologia

Estabilidade de Taludes

Código

10743

Unidade Orgânica

Faculdade de Ciências e Tecnologia

Departamento

Departamento de Ciências da Terra

Créditos

6.0

Professor responsável

Pedro Calé da Cunha Lamas

Horas semanais

4

Total de horas

72

Língua de ensino

Português

Objectivos

Os alunos deverão dominar conceitos básicos e adquirir capacidades que lhes permitam identificar os mecanismos associados aos movimentos de terrenos. Deverão ter as competências necessárias para conduzir estudos para obtenção dos parâmetros físicos e mecânicos dos terrenos a fim de, mediante métodos de análise distintos, avaliarem as condições de estabilidade de taludes.

Pré-requisitos

Aconselha-se frequência prévia a Resistência dos Materiais e Mecânica dos Solos, do 1º ciclo de estudos. 

É obrigatória a presença dos alunos em dois terços das aulas, no mínimo, salvo se estiverem inscritos ao abrigo de estatuto especial.

Conteúdo

Conceitos de talude e movimentos de terrenos; problemática da estabilidade de taludes e descrição de ocorrências históricas. Evolução geomorfológica dos taludes: erosão e movimentos de terrenos; sistemas de classificação; agentes e causas. Métodos de estudo, em laboratório e in situ. Métodos de análise de estabilidade; condição de equilíbrio limite; coeficientes de segurança: global e parciais (Eurocódigo 7); análise a curto e a longo prazo. Análise de estabilidade de taludes rochosos: análise cinemática; classificação de taludes rochosos pelo índice SMR; análise de equilíbrio limite para escorregamentos planares. Análise de estabilidade de taludes em solos: roturas planares (métodos de Culmann e dos taludes "infinitos"); roturas circulares (método global com fi=0; métodos das fatias; ábacos de estabilidade). Recurso a programas informáticos de cálculo de estabilidade de taludes (SlopeW e outros). Estabilização e protecção de taludes; instrumentação de taludes.

Bibliografia

Abramson, L.; Lee, T.; Sharma, S.; Boyce, G. 1996. Slope stability and stabilization methods. John Wiley & Sons

Cernica, J.N. 1995. Geotechnical engineering: Soil mechanics; Chap10, 11, John Wiley & Sons Inc

Dikau, R.; Brunsden, D.; Schrott, L.; Ibsen, M.-L. (ed.) 1996. Landslide recognition: Identification, movement and causes; John Wiley & Sons

González Vallejo L. (Coord.) 2002. Ingeniería geológica. Prentice Hall

Hoek, E. & Bray, J. 1994. Rock slope engineering. Chapman & Hall (Instit. of Mining and Metallurgy), London, 3 ed 

Nash, D. 1989. A comparative review of limit equilibrium methods of stability analysis. In M.G. Anderson & K.S. Richards (ed.) Slope stability, John Wiley & Sons, London, Chap. 2, 11-73

Smoltczyk, U. (ed.) 2002. Geotechnical Engin. Handbook, Ernst & Sohn, ed.; Vol.1; Chap.1.13, 1.15 

Método de ensino

Sessões teóricas com recurso a Powerpoint. Sessões práticas com resolução de problemas sobre diferentes métodos de cálculo de estabilidade de taludes e análise de estudos realizados no País. Dois documentos, uma sebenta onde se expõem as matérias e um caderno de problemas, são disponibilizados aos alunos através da plataforma do Clip. Como complemento, é fornecida alguma bibliografia. Realização de visita de estudo aos taludes próximos do campus, onde se observam e discutem diferentes mecanismos de rotura ocorridos e soluções de obras de estabilização.

Método de avaliação

A nota final é dada pela soma dos resultados dos seguintes componentes: Avaliação teórico-prática (três testes valendo respectivamente 25%, 30% e 30% da nota final, ou exame teórico-prático de recurso) + Avaliação sumativa de relatório de visita de estudo e cinco  exercícios resolvidos em período extra-horário (15% da nota final). Aprovação no caso de nota final ≥ 9,5 valores. Os testes são sem consulta com excepção de um formulário que é fornecido pelo docente para apoio à componente prática dos mesmos.

Cursos