Faculdade de Ciências e Tecnologia

Materiais de Construção I

Código

1837

Unidade Orgânica

Faculdade de Ciências e Tecnologia

Departamento

Departamento de Engenharia Civil

Créditos

6.0

Professor responsável

Fernando Manuel dos Anjos Henriques

Horas semanais

5

Língua de ensino

Português

Objectivos

A disciplina de Materiais de Construção assume um carácter fundamental, na medida em que fornece as bases que permitirão obter um desempenho adequado nas restantes cadeiras do grupo de "Construção". Mas para além desse facto a disciplina ministra também conhecimentos terminais, isto é susceptíveis de serem aplicados directamente na vida prática.

A importância da disciplina deve ser avaliada individualmente por cada um dos alunos, quer ao longo do seu percurso académico, quer fundamentalmente na sua vida prática futura. Mas não deixa de ser significativo o facto de nos inquéritos efectuados Materiais de Construção surgir como uma das duas disciplinas consideradas como mais úteis para a actividade profissional dos nossos ex-alunos.

Talvez mais importante do que as próprias matérias leccionadas seja o objectivo de fomentar e dinamizar o espírito critico e uma certa forma de avaliar o desempenho dos materiais, o que poderá vir a ser um instrumento particularmente útil numa fase em que o desenvolvimento de novos materiais é feito em ritmo acelerado, inviabilizando a sua cobertura total num único ano lectivo e tornando impossível perspectivar o tipo de desenvolvimentos e tendências futuras. Trata-se pois de fornecer aos nossos alunos os instrumentos de análise que lhes permitam lidar com os materiais da próxima geração, independentemente da sua natureza e sofisticação.

Conteúdo

INTRODUÇÃO AOS MATERIAIS DE CONSTRUÇÃO

CARACTERÍSTICAS GERAIS DOS MATERIAIS

Características físicas Características mecânicas Características químicas

PEDRAS NATURAIS

Classificação Extracção das pedras, desmonte dos blocos, lavra da pedra, transporte Características das pedras naturais e respectivos métodos de ensaio Condições de utilização das pedras Ligações e colocação em obra Alteração e conservação das pedras em monumentos

AGLOMERADOS

Classificação Características e ensaios para a avaliação da qualidade Análise granulométrica Mistura de agregados

LIGANTES

Classificação Cais aéreas Cais hidráulicas Cimentos naturais Cimento Portland Processo de fabrico Reacção dos componentes do cimento portland com a água Propriedades físicas e químicas conferidas pelos constituintes Especificações normativas e respectivos ensaios Pozolanas e cinzas volantes Escórias de alto forno Gesso

AÇOS

Matérias primas e processo de fabrico Diagrama de equilíbrio ferro-carbono Tratamentos térmicos e mecânicos Aços para armaduras Tipos correntes de varões Corrosão e protecção contra a corrosão

PRODUTOS CERÂMICOS

Matérias primas Fabrico dos produtos cerâmicos Tipos de produtos cerâmicos Características de tijolos, telhas e tubagens Defeitos mais correntes

Bibliografia

INTRODUÇÃO AOS MATERIAIS DE CONSTRUÇÃO

ADDLESON, L.;-- RICE, C. - Performance of materials in buildings. Oxford, Butterworth Heinemann, 1995.

PEDRAS NATURAIS

CANHA da PIEDADE, A. - Pedras naturais. Lisboa, IST, 1979. CASTRO, Elda - Notas sobre as causas de deterioração de pedras em monumentos. Lisboa, LNEC, 1978. Seminário 222. CASTRO, Elda - Tratamentos de conservação de pedras em monumentos. Lisboa, LNEC, 1984. ITG 2.

AGLOMERADOS

SOUSA COUTINHO, A. - Fabrico e propriedades do betão. Lisboa, LNEC, 1988. (Biblioteca DEC TA439.COU FCT 29246) FERREIRA, M. Esteves - Inertes para betão, in "Urbanismo e Construção", nº 417, Janeiro de 1987.

LIGANTES

SOUSA COUTINHO, A. - Fabrico e propriedades do betão. Lisboa, LNEC, 1988. (Biblioteca DEC TA439.COU FCT 29246) IPQ - Cimentos. Definições, composição, especificações e critérios de conformidade. Lisboa, IPQ, 1991. NP 2064. IPQ - Cimentos. Condições de fornecimento e recepção. Lisboa, IPQ, 1991. NP 2065. HENRIQUES, F.A. - Gesso. Monte da Caparica, FCT, 1986. Apontamentos da disciplina de Materiais de Construção.

AÇOS

SOUSA COUTINHO, A. - Aços das armaduras do betão armado e do betão pré-esforçado. Lisboa, LNEC, 1983. Curso de Formação em Edifícios. D''''''''''''''''''''''''''''''''''''''''''''''''''''''''''''''''''''''''''''''''''''''''''''''''''''''''''''''''''''''''''''''''ARGA E LIMA, J. - Betão armado. Armaduras. Aspectos gerais. Lisboa, LNEC, 1988.

PRODUTOS CERÂMICOS

LUCAS, Darlindo - Lições sobre cerâmica de materiais de construção. Lisboa, LNEC, 1983. Curso de Formação em Edifícios. UNL/FCT/DEC - Apontamentos sobre produtos cerâmicos. Monte Caparica, DEC, 1996.

Método de avaliação

REGRAS DE ASSIDUIDADE

  • Presença obrigatória nas aulas práticas, com tolerância de 5 minutos depois do início de cada aula, após o que será marcada falta de presença
  • A frequência é obtida através da presença nas aulas práticas (nª faltas < 1/3 do nº de aulas práticas) 

REGRAS DE AVALIAÇÃO

2 testes (9,5 val. cada) e uma ficha laboratorial individual (1 val.)

Cursos