Faculdade de Ciências e Tecnologia

Introdução à Programação (B)

Código

3622

Unidade Orgânica

Faculdade de Ciências e Tecnologia

Departamento

Departamento de Informática

Créditos

6.0

Professor responsável

Artur Miguel de Andrade Vieira Dias, Luís Manuel Marques da Costa Caires

Horas semanais

5

Total de horas

62

Língua de ensino

Português

Objectivos

Saber
1 - Conhecer um fragmento bem definido duma linguagem de programação (C) e conhecer um sistema de desenvolvimento (MinGW Developer Studio).
2 -Entender as metodologias de programação utilizadas.

Fazer
1 -Desenvolver programas de pequena dimensão, bem organizados e obedecendo a um certo número de convenções.
2 - Conseguir inventar e escrever correctamente algoritmos simples.

Pré-requisitos

Conhecimentos gerais de matemática, ao nível do Ensino Secundário.

Conteúdo

- Computação, algoritmos e programas. Problemas de programação.
- Linguagens de programação. Ambientes de programação. A linguagem  de programação C.
- Definições. Expressões. Instruções.
- Funções. Iteração e recursão.
- Constantes. Variáveis e Atribuições. Tipos.
- Legibilidade do código. Metodologias de programação. A importância dos testes.
- Ciclos. Processamento de vetores.
- Registos. Vetores de registos.
- Apontadores.
- Construções condicionais. Programação de interpretadores de comandos.
- Processamento de ficheiros de texto.
- Ordenação de vetores e busca dicotómica.

Bibliografia

Principal
- Artur Miguel Dias, "Folhas da cadeira, incluindo lista de exercícios", 2017.
- Brian W. Kernighan, Dennis M. Ritchie, The C programming language, 2nd Edition, Prentice-Hall, 1988, ISBN 0-13-110362-8
- António Adrego da Rocha, Introdução à programação usando C, FCA, 2006, ISBN 972-722-524-1

Complementar
- Pedro Guerreiro, Elementos de programação com C, FCA, 2006, ISBN 972-7-22510-1
- Peter A. Darnell, Philip E. Margolis, C: A Software Engineering Approach, 3rd Edition, Springer, 1996, ISBN 0-387-94675-6

Método de ensino

Esta cadeira tem um forte caráter aplicado e a nota final depende completamente da capacidade de resolver problemas de programação práticos usando a linguagem C.

Nas aulas teóricas, os conceitos fundamentais da cadeira são transmitidos, exemplificados e discutidos.
    
Nas aulas práticas, os alunos resolvem pequenos problemas onde aplicam os conceitos e técnicas estudados. Parte desses problemas estarão disponíveis num sistema de avaliação automática de programas (chamado Mooshak), com o qual os alunos interagem através da Net.

O projeto final da cadeira é realizado parcialmente nas aulas práticas e parcialmente fora dessas aulas. O projeto final é muito importante pois destina-se a ajudar a sedimentar tudo o que se aprendeu ao longo da disciplina e a ganhar alguma desenvoltura na resolução de programas de programação.


Método de avaliação

Elementos da avaliação

Os elementos de avaliação são os seguintes, com os pesos na nota final indicados:

  • T1 - Teste 1 - 40%
  • T2 - Teste 2 - 40%
  • PR - Projeto prático - 20%
  • ER - Exame de recurso - 80%

Cada um destes elementos de avaliação é cotado até 20 valores.
Os projetos são efectuados por grupos de dois alunos. Poderão haver discussões de alguns projetos para alguns grupos.

Notas das componentes prática e teórica

A nota da componente prática é definida como:

  • PRAT = PR

A nota da componente teórica é definida de duas formas diferentes, consoante o momento em que a nota é obtida (por avaliação contínua ou exame final):

  • TEOR= (T1 + T2) / 2
  • TEOR = ER

Frequência

A nota de frequência é igual à nota da parte prática:

  • FREQ = PRAT

Nota final e Aprovação

A nota final calcula-se assim:

  • FINAL = 0.2 * FREQ + 0.8 * TEOR

A aprovação na cadeira é determinada pela seguinte condição:

  • Aprovação = FREQ >= 9.5 e TEOR >= 9.5

As notas intermédias são arredondadas para duas casas decimais.
A nota final é um número inteiro

Validade da frequência obtida neste ano

A frequência obtida no ano letivo corrente será valida no próximo ano letivo, pelo menos.

Frequências dos anos anteriores

Todas as frequências obtida nos anos anteriores são válidas no ano letivo corrente e transitam automaticamente. Permite-se também que essa nota seja melhorada, fazendo o projeto do ano corrente.

Componente teórica do ano anterior

Tendo já sido obtida, no ano letivo anterior, nota positiva na componente teórica mas nota negativa na componente prática, o aluno pode solicitar que a nota positiva transite para o ano letivo corrente. Para aproveitar esta possibilidade é preciso fazer um pedido explicito ao docente. O que transita é a nota teórica global e não a nota de testes individuais. Esta possibilidade só se aplica à nota do ano letivo anterior e não a notas de anos letivos mais antigos.

Fraude

Qualquer tipo de fraude em qualquer elemento de avaliação implica a impossibilidade de fazer a cadeira no ano lectivo corrente (mesmo que haja exames marcados).

Cursos