Guia de Cursos

Queres conhecer a oferta de cursos da NOVA, nas áreas das licenciaturas, mestrados e doutoramentos?
No nosso Guia de Cursos encontras informação útil sobre Faculdades, Institutos e Escolas.
Podes ainda aceder a informações complementares necessárias a uma completa integração.

saber mais Guia de Cursos

Faculdade de Ciências e Tecnologia

Computação Gráfica e Interfaces

Código

8150

Unidade Orgânica

Faculdade de Ciências e Tecnologia

Departamento

Departamento de Informática

Créditos

6.0

Professor responsável

Fernando Pedro Reino da Silva Birra, Nuno Manuel Robalo Correia

Horas semanais

5

Total de horas

72

Língua de ensino

Português

Objectivos

Saber
• Descrever o pipeline gráfico e identificar as respetivas implicações.
• Enumerar e descrever as técnicas básicas para modelação baseada em polígonos e atributos de vértices.
• Identificar os princípios de base na construção da interface com o utilizador.
Saber Fazer
• O aluno deverá ser capaz de usar uma API moderna para criar uma aplicação gráfica que possa ser integrada com aplicações de qualquer outro tipo.
• O aluno conseguirá traduzir os princípios de conceção duma interface gráfica com o utilizador numa implementação eficiente e com aplicabilidade real.
Competências Complementares
• Capacidade de modelação e abstração.
• Avaliação teórica da eficiência de uma solução. 
• Elaboração e seguimento de um protocolo experimental para avaliação de uma solução. 

Pré-requisitos

Bons conhecimentos de programação numa das seguintes linguagens: Javascript, C/C++ ou Java

Conhecimentos básicos de álgebra linear e de geometria

Conteúdo

1. Modelação
:
- Primitivas
- 
Superfícies

- Grafos de cena

2. Projeções geométricas:
- Proj. Paralela e Perspetiva
3. Outras transformações essenciais no pipeline gráfico:
- Enquadramento janela-visor
- Recorte 
- Remoção de partes ocultas

4. Programação por eventos

5. Animação gráfica em tempo real

6. Introdução aos modelos de cor e de iluminação 
7. Geração e aplicação de texturas por mapeamento:
- Imagens digitais e métodos procedimentais

8. Interação:
- 
Modelos

- Estilos

- Design do ecrã

- Contextos

9. Técnicas de interface com o utilizador
:
- Metáforas 2D/3D

- Dispositivos físicos
- 
Controlo
- 
Feedback

- Visualização
- 
Navegação e Manipulação


10. Programação em WebGL

Bibliografia

• Edward Angel and Dave Shreiner, "Interactive Computer Graphics, A Top-Down Approach with WebGL", Seventh Edition, Addison-Wesley 2015

• John F. Hughes, Andries van Dam, Morgan McGuire, David Sklar, James D. Foley, Steven K. Feiner, Kurt Akeley, "Computer Graphics: Principles and Practice", 3rd Edition, Addison-Wesley Professional (2013)

• J.D. Foley, A. van Dam, S.K. Feiner, J.F. Hughes, "Computer Graphics - Principles and Practice", 2nd edition in C, Addison-Wesley (1996)

• Alan Dix, Janet Finlay, Gregory Abowd, Russell Beale, "Human-Computer Interaction", 3rd edition, Prentice Hall (2004)

Método de avaliação

Método de avaliação em 2017/2018:

  • A cada aluno será atribuída uma nota individual resultante da avaliação de três projetos de programação e, em avaliação contínua, de dois testes intermédios. Este procedimento irá substituir o exame final escrito em caso de aprovação.
  • Cada projeto vale 10% da nota final e é realizado em grupos de 2 alunos de um mesmo turno. A entrega do trabalho de um projeto só é válida se o aluno tiver frequentado pelo menos 50% das respetivas aulas práticas. Para permitir um acompanhamento do trabalho alternativo ao presencial, um aluno com o estatuto de trabalhador-estudante precisará de contatar o docente do seu turno logo no início de cada projeto.
  • Em avaliação contínua, que não pode ser utilizada para melhoria de nota, o primeiro teste intermédio vale 35% da nota final e o segundo 35%, mas exige-se uma média dos dois testes de pelo menos 8,0 valores (em 20), não podendo a classificação de qualquer dos testes ser inferior a 6,0 valores. Caso contrário, será essa média a classificação obtida na avaliação contínua.
  • Para aprovação, a classificação final mínima é de 9,5 valores (em 20).
  • Na época de recurso, a que todos os alunos inscritos podem ter acesso direto para obtenção de aprovação, a nota combinada dos dois testes da avaliação contínua é substituída pela nota do exame escrito, pelo que esta vale assim 70% da nota final. Para os alunos com nota inferior a 8,0 valores (em 20) no exame escrito, a nota final será exclusivamente a nota do exame arredondada às unidades.

Alunos com c/nota nos trabalhos obtida em 2016/2017 ou 2015/2016:

  • Os alunos a quem, nos ano letivos de 2015/2016 ou 2016/2017, tenha sido atribuída nota a, pelo menos, um dos projetos, manterão a nota da componente prática, não sendo necessária a sua inscrição em qualquer turno prático. Caso se inscrevam num turno prático perderão a nota obtida anteriormente, ficando assim nas mesmas condições que qualquer outro aluno inscrito na disciplina pela primeira vez. Este procedimento torna-se efetivo à data de 16 de Setembro de 2017.
  • Todos os alunos com frequências obtidas em anos anteriores aos referiodos estão em igualdade de circunstância com os alunos de 1ª inscrição, devendo inscrever-se num turno prático.
  • Os alunos poderão consultar no clip, na secção Documentação de Apoio -> Outros, a sua situação relativa à nota prática obtida em anos anteriores.

Cursos