Guia de Cursos

Queres conhecer a oferta de cursos da NOVA, nas áreas das licenciaturas, mestrados e doutoramentos?
No nosso Guia de Cursos encontras informação útil sobre Faculdades, Institutos e Escolas.
Podes ainda aceder a informações complementares necessárias a uma completa integração.

saber mais Guia de Cursos

Universidade Nova de Lisboa

Reconhecimento Académico

O regime jurídico do reconhecimento de graus académicos superiores estrangeiros é regulado pelo Decreto-Lei n.º 341/2007, de 12 de outubro, regulamentado pela Portaria n.º 29/2008, de 10 de janeiro, e aplica-se:

 

a) aos graus académicos conferidos por instituições de ensino superior estrangeiras que, por deliberação fundamentada da Comissão de Reconhecimento de Graus Estrangeiros* sejam qualificados como de nível, objetivos e natureza idênticos aos dos graus de licenciado, mestre e doutor conferidos pelas instituições de ensino superior portuguesas;

 

b) aos graus académicos conferidos por instituições de ensino superior estrangeiras de um estado aderente ao Processo de Bolonha, na sequência de um 1.º, 2.º ou 3.º ciclo de estudos organizado de acordo com os princípios daquele Processo e acreditado por entidade acreditadora reconhecida no âmbito do mesmo. Aos detentores dos referidos graus académicos é reconhecida a totalidade dos direitos inerentes à respetiva titularidade.



Para que o referido reconhecimento seja formalizado, é necessário proceder ao registo prévio do diploma. As entidades competentes para efetuar o registo são:


1 - Para qualquer grau:
a) o Reitor de uma das universidades públicas portuguesas, à escolha do interessado;
b) o Diretor-Geral do Ensino Superior.

 

2 – Para os graus de licenciado e de mestre, além das entidades referidas no número anterior, o Presidente de um Instituto Politécnico público português.

 

 

A instrução dos pedidos é feita do seguinte modo: 

a) “com o original do diploma ou de documento emitido pelas autoridades competentes do estabelecimento de ensino superior estrangeiro que comprove, de forma inequívoca, que o grau já foi conferido;
b) Com um exemplar da tese ou dissertação** defendida, quando se trate do registo de um diploma que titule um grau reconhecido como produzindo os efeitos correspondentes aos dos graus de doutor e mestre”.

 

 

O registo é realizado no prazo máximo de um mês e pelo ato de registo são devidos emolumentos, cujo valor é fixado anualmente.

 

Mantém-se em vigor o Decreto-Lei n.º 283/83, de 21 de junho, (que regula os pedidos de equivalência e reconhecimento de habilitações estrangeiras aos vários graus/níveis), ao abrigo do qual o titular de um grau académico estrangeiro que não tenha sido genericamente reconhecido nos termos dos artigos 4.º e 5.º do Decreto-Lei n.º 341/2007, de 12 de outubro, pode solicitar a equivalência ou reconhecimento específicos, que, em ambos os casos, pressupõe uma reavaliação dos graus obtidos nas universidades estrangeiras, feita por um júri nomeado para o efeito, estando a solicitação sujeita a emolumentos no valor de 218 €, pagos em 2 prestações de 70% e 30%, respetivamente (sujeito a atualizações).Poderá consultar a Lista de Graus emanada pela Comissão de Reconhecimento de Graus Estrangeiros, emitida pela DGES.

Para mais informações contacte:

Divisão Académica da Reitoria da NOVA
Tel.: +351 213 715 616
E-mail: div-academica@unl.pt

Direcção-Geral do Ensino Superior - área de Reconhecimento de Qualificações Estrangeiras



* As deliberações da Comissão são de natureza genérica.
** O referido exemplar pode ser entregue em formato digital.